Bovespa renova máxima e supera 110 mil pontos, com exterior e dados internos positivos

O principal índice da bolsa de valores brasileira, a B3, sobe nesta quarta-feira (4), renovando máxima histórica durante o pregão. A valorização tem como pano de fundo um cenário positivo no exterior, com alta de commodities e também nos mercados de ações. Internamente, o noticiário doméstico também impulsionava compras na B3, com investidores repercutindo a divulgação de dados positivos da produção da indústria.

Às 16h46, o Ibovespa subia 1,03%, a 110.081 pontos. Veja mais cotações. Na máxima do dia, chegou a 110.279 pontos.

No dia anterior, o índice fechou praticamente estável, em alta de 0,03%, a 108.956 pontos.

Entre as notícias que estão repercutindo positivamente é o crescimento acima do esperado do Produto Interno Bruto (PIB) divulgado no dia anterior. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou na terça-feira (4) que a economia cresceu 0,6% entre julho e setembro sobre os três meses anteriores, acima do esperado pelo mercado.

"A expectativa de um PIB maior para 2020 está animando o mercado, o que fez a bolsa passar de 110 mil pontos", disse em nota Fabrizio Velloni, chefe da mesa de câmbio da Frente Corretora.

"Ajuda a consolidar a impressão dos investidores de que o país está crescendo", afirmou à Reuters Pablo Spyer, diretor da Mirae Asset. "Ao mesmo tempo, não podemos esquecer, que, na semana passada, grandes bancos globais recomendaram em bloco o Brasil, sugerindo que os estrangeiros podem estar voltando", comentou.

Ainda no Brasil, a produção industrial cresceu 0,8% em outubro na comparação com setembro, melhor resultado desde 2012 e acima do esperado.

Para o time da Terra Investimentos, a melhora apresentada pela produção industrial reforça o otimismo na economia interna.

"O cenário econômico brasileiro começa a traçar certa melhora, com projeções de expectativas para o PIB sendo elevadas pelo mercado, aliada a uma continuidade de inflação e taxa de juros baixas", destacou em nota a clientes.

Fonte: G1 (Adaptado)

Publicidade