Indicadores apontam ritmo de crescimento aquém do esperado, diz presidente do BC

Indicadores recentes apontam ritmo de crescimento da economia brasileira "aquém do esperado", afirmou nesta segunda-feira (8) o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, em Porto Alegre (RS). Ele participou do Fórum da Liberdade, e seu discurso foi divulgado pela assessoria de imprensa da instituição.

"Não obstante, a economia brasileira segue em processo de recuperação gradual", acrescentou ele. De acordo com Campos Neto, diversos choques que atingiram a economia ao longo de 2018 e "produziram efeitos que persistem mesmo após cessados seus impactos diretos".

O PIB é a soma de todos os bens e serviços feitos no país, independentemente da nacionalidade de quem os produz, e serve para medir o comportamento da economia brasileira.

Em 2018, o PIB brasileiro cresceu 1,1%, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O desempenho da economia brasileira no ano foi decepcionante diante das expectativas iniciais. Entre os fatores que influenciaram esse resultado, está a greve dos caminhoneiros.

Para este ano, o BC estima uma alta de 2% no PIB, mas o mercado financeiro previu, na semana passada, uma expansão um pouco menor: de 1,97%.

O presidente do Banco Central também manteve em 3,9%, e em 3,8%, as estimativas de inflação para 2019 e para 2020 no cenário de mercado (com juros e câmbio estimados pelas instituições financeiras para esse período).

Fonte: G1 | Alexandro Martello (Adaptado)

Publicidade