Na última reunião do ano, Copom deve manter juro básico em 6,5% ao ano

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central fará nesta quarta-feira (12) a última reunião do ano. A expectativa do mercado financeiro é que a taxa básica de juros da economia, a Selic, seja mantida em 6,5% ao ano.

Se a previsão do mercado se confirmar, esta será a sexta manutenção seguida da taxa, que está no menor nível desde 1986, quando começa a série histórica do Banco Central.

Com a inflação sob controle, a expectativa das instituições financeiras é que a taxa de juros começará a ser elevada pelo Copom somente em setembro do ano que vem – quando deve subir para 7% ao ano.

Até o início de novembro deste ano, a previsão era que os juros começassem a subir em maio de 2019.

Para o fim do próximo ano, a expectativa dos economistas do mercado financeiro é que a taxa Selic fique em 7,5% ao ano.

A definição da taxa de juros pelo BC tem como foco o cumprimento da meta de inflação, fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Para 2018, a meta de inflação é de 4,5% e, para 2019, 4,25%.

Quando as estimativas para a inflação estão em linha com as metas, o BC reduz os juros; quando estão acima da trajetória esperada, a taxa Selic é elevada.

Neste ano, a inflação segue relativamente sob controle, tendo registrado deflação (queda de preços) em novembro, e a expectativa é que assim permaneça também em 2019.

A previsão dos economistas das instituições financeiras para a inflação de 2018 está em 3,71% e, para o ano que vem, em 4,07%, ou seja, ainda em linha com as metas de inflação.

Fonte: G1 | DF | Alexandro Martello (Adaptado)

Publicidade