Confiança da indústria recua para patamar de 2017 e dos serviços sobe em outubro

O índice que mede a confiança da Indústria, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), recuou 2 pontos em outubro, para 94,1 pontos – o menor desde setembro de 2017 (93,4 pontos). Com o resultado, o índice atinge sua terceira queda consecutiva e acumula perda de 6 pontos.

Já a confiança dos serviços subiu 0,9 ponto em outubro, de 87,4 para 88,3 pontos. Em médias móveis trimestrais, o índice avançou 0,3 ponto, mantendo o sinal positivo pelo terceiro mês consecutivo.

Segundo Viviane Seda Bittencourt, coordenadora das Sondagens da FGV IBRE, a queda da confiança da indústria pelo terceiro mês consecutivo e a disseminação por quase 60% dos segmentos industriais foi influenciada pela deterioração no ambiente de negócios.

 “A piora do cenário externo e o câmbio parecem ter peso adicional negativo na demanda, gerando efeito redutor nas expectativas de produção. A proximidade do fim do processo eleitoral parece já gerar um efeito positivo nos empresários, mas ainda insuficiente para reverter a tendência de queda da confiança no setor”, afirma

Silvio Sales, consultor da FGV IBRE, justifica a melhora da confiança das empresas de serviços pelo fato de, pela primeira vez desde fevereiro, todos os quatro indicadores que compõem o índice terem avançado frente ao mês anterior.

A disseminação no sinal positivo dos indicadores no mês pode estar relacionada à proximidade da definição do cenário político atuando na redução da incerteza no âmbito das empresas e dos consumidores. “Vale observar que o índice de confiança ainda se situa numa faixa abaixo dos 90 pontos, o que caracteriza um contexto de moderado pessimismo”, analisa.

Fonte: G1

Publicidade