Faturamento do comércio eletrônico cresce 7,5% em 2018

O ano de 2017 marcou uma inversão de tendência para o comércio eletrônico. Com a inflação mais controlada, o setor viu uma expansão do faturamento puxada pelo aumento no número de pedidos em vez da elevação de preços, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (8) pelo Ebit.

De acordo com o relatório, o faturamento do comércio eletrônico cresceu 7,5% em 2017, e deve ter avanço maior neste ano. As vendas pela internet totalizaram R$ 47 bilhões no ano passado, e a estimativa do Ebit para 2018 é de R$ 53 bilhões, o que representaria um avanço de 12%.

Ao contrário dos anos anteriores, o avanço em 2017 foi puxado pelo avanço no número de pedidos, que subiu 5%, para 111 milhões. Enquanto isso, o valor médio gasto por casa consumidor cresceu apenas 3% - um avanço fraco, em linha com a inflação mais amena registrada em 2017.

A tendência foi bem diferente do ano anterior. Em 2016, em meio ao auge da crise e com o achatamento da renda dos consumidores, o número de pedidos caiu 0,2%, para 106 milhões. Já os preços aumentaram bem mais, e o valor médio gasto por cada consumidor subiu 8%.

A pesquisa mostra que a maior fatia do total de compras pela internet ainda corresponde ao segmento de modas e assessórios. Em 2017, essa categoria respondeu por 14% do volume de pedidos. No entanto, o volume financeiro dessas vendas tem uma participação menor do setor, respondendo por 6% do total de transações.

Enquanto isso, o maior volume financeiro do comércio eletrônico foi movimentado pelas compras de telefonia e celulares, com 21% do total. O segmento atingiu a liderança mesmo representando uma fatia menor do total de pedidos, com 9%.

Fonte: G1 | Karina Trevizan

Publicidade